Top 5 de resenhas de fics do EXO em português que se deve ler(Fevereiro)

1 – CinabreKill-luhan

Nunca tinha lido nada da autora até pôr as mãos nessa fic. Cinabre foi aquelas descobertas por acaso que somente o contato me levou a buscar por outros trabalhos dessa ficwritter(apesar de ainda não ter lido as outras obras, estão todas na minha lista de favoritos a fim de análises no ônibus). No geral, sua escrita pode ser descrita como profunda, inesperada, surreal, trash*. Profunda não no aspecto clichê, mas reflexivo, desconstrutivo, é um verdadeiro exemplo de “maiêutica“(parto de ideias, como uma expulsão de pensamentos humanos escondidos no subconsciênte – banalizando o termo -, por isso a descrevi surreal). Esse é o maior motivo para o recurso estilístico mais utilizado por ela ser a descrição. Sim, gente, pela primeira vez vejo alguém utilizando a descrição como recurso predominante de forma correta.

Cinabre ou cinábrio, sulfato de mércurio – mineral de coloração vermelha – utilizado por romanos em vinhos com o intuito de melhor degustação; segundo os escritos, deixava o vinho mais saboroso. Mercúrio, como muitos sabem, leva à morte em excessos ou longo tempo de contato. Em outras palavras, é o prazer que mata. De fato, matou Luhan. Mas de forma simbólica. Sua obsessão por vermelho cinábrio é a única verdade. Essa sim levou à sua morte.
Uma resenha spoilativa? Como assim? Não vai descrever a história? Acreditem, somente conferindo os spoillers acima para entender pra que fiz isso.
Nt: Trash, destacado no 1° parágrafo, está no sentido de “chocante”: filmes almodovarianos, por exemplo.

Pontos negativos: Ao descrever Luhan como uma pessoa de traços pueris, mas mente pervertida, dá-se a entender que a autora quer passar aquela mesma sensação que pessoas da nossa cultura sentem ao assistir um shota/lolicon pela primeira vez, de choque. Contudo, ela foca tanto nessas descrições, repetições exacerbadas em parágrafos, que fica, às vezes, infantil. Como se a autora quisesse “causar”.

2 – O último unicórnioRaquel

Comecei a fic ano passado. Ainda está em andamento, mas já chegando ao fim. A autora ama shoujo, por isso as suas fics são uma das poucas héteros de EXO que li. Ela também é uma viciada em ficção de aventura, uma das maiores inspirações para essa obra foi Dama n’agua. Ao contrário da maioria das fanfictions que escrevo, essa obra é de aventura e cross over. Sim, é raro eu ler esse tipo de proposta, ainda mais sendo hétero, mas as capas, história diferente e frases conectadas com cada capítulo me cativaram.

O mundo dos unicórnios foi destruído, todos os seres que lá habitavam morreram, exceto o príncipe que agora se encontra no mundo dos humanos. Ele é a única chave à reversão do caos. É, parece cliche sessão da tarde (paradoxal com um dos motivos que me levaram a ler), mas as causas e consequências que desenrolaram até chegar ao tema tornaram-o um conto único. As personalidades atribuídas aos personagens, suas funções, tudo ficou incrível.

Pontos negativos: A autora ficou um tempo sem postar, agora está com bloqueio. Seus últimos episódios foram minúsculos e quase sem informação. Em outras palavras, a história está muito parada. Entretanto, ela já tem o cru, só lhe resta um empurrãozinho para desenvolver o resto. Quem sabe não seria mais leitores? Vão lá. ;D

3 – VindictamLuminer

Mais conhecida – por mim – como “Tolstói das fics”, sua maior marca sem dúvida é o tamanho de suas obras. Tem como mais famosa EXOtic Dream, cada episódio possui cerca de 10.000 palavras(a minha maior long fic conclusa tem 6.000 no total) . Com Vindictam não é diferente.

Vindictam, do latim “vingança” possui Xiao Lu como protagonista. Algo bem negativo em seu passado o levará a fazer de tudo e tudo para se vingar, inclusive, e principalmente, abrir mão de si mesmo contra a sua vontade. Não só no íntimo, mas no físico também.
Acho que foi um dos dramas que mais me tocaram no final de 2013, e ainda está no início(aproveitem que só tem 3 episódios até agora- 30.000 palavras, socorror). Não pela história inovadora(é muito, muito diferente do que estou acostumada. É tão diferente, que a autora registrou em cartório para evitar fraude, sério), mas pelos pontos abordados: até onde o ser humano vai quando não se tem mais nada a perder. Me deixou reflexiva, as descrições do sentimento do Luhan a cada transformação que ele necessita fazer me deixaram muito mal, triste, com pena do personagem. Mas não vou falar mais ou vou dar spoil perigoso.

Pontos negativos: não sei se é frescura minha, mas a ficwritter se mostrou um pouco xenofóbica. Digo, ela coloca o Luhan como um cara meio “homofóbico”, mas explica que é necessariamente pela sua “nacionalidade”, por ser um exemplo de “chinês tradicional”. Há uma gafe da Jiyeon(uma das personagens) quando ela propõe Luhan para transar com homens, sendo ele hetero, ela diz mais ou menos assim “Se você quer prosseguir com o plano, Luhan, Sugiro que abandone essas ideias conservadoras machistas e preconceituosa de homem oriental”. Claro, porque se eu pedisse para um amigo hetero ocidental para ele dar a bunda, ele iria normalmente. Dentre outros momentos que todos os coreanos da fic – sim, Coréia, cultura conhecida pelos kopppers como super ocidentalizada(quase um mini Eua) e homofóbica – ficam falando “para de preconceito”; “homossexualidade é normal”; ou seja, o único homofóbico da fic inteira é o protagonista, porque ele é puramente oriental.

4 – O primo ChanyeolExospirit

Não vou falar muito da autora, porque só conheço cracks dela, e só gostei dessa. Quem não leu Primo Chanyeol? Se não me engano, ela é uma das OS de EXO mais comentadas daqui, se não for a mais comentada. Caso você curta comédia, e não leu, vá ler agora! Você é uma vergonha para o fandom -nnn

Nos interiores da Coréia, um lugar onde só tem mato e pasto, há uma fazenda. Nessa fazenda, um menininho urbano passa o dia inteiro tomando leite em frente a janela de sua casa, tendo a vista – segundo ele – mais privilegiada da vida: seu primo caipirão, Park Chanyeol, sem camisa com a mão na enxada.
Imagine só o que a autora fez com tanta criatividade. Conseguiu arrancar risos e, acredite ou não, gemidos de muitos leitores por aí. Além de uma comédia brilhante e espetacular, um lemon ilustrativo, abastado de metáforas chulas e divertidíssimas.

Pontos negativos: O sotaque caipira. De fato, a autora conseguiu capitar bem as gírias, como se fala e por aí vai. Entretanto, deixou escapar falhas aparentemente bobas na utilização, mas que fariam diferença. Tem um texto de linguística – desculpa não estar com a fonte correta aqui agora – que fala sobre gramáticas. BaekHyun viveu boa parte da vida na cidade, por isso não tem muitosotaque caipira. Quando ficamos nervosos, a nossa gramática materna(no caso do Baekhyun, o sotaque caipira) aflora. Quando ele discutia com o Channie, pôde-se ver arfadas, excessos de reticências, palavras cortadas, mas o português dele era mais formal que o de escola. De vez em quando, no decorrer dos diálogos, a autora colocou uns “ocê”, mas ficou mais forçado do que raízes caipirescas, saks? Quanto ao Chanyeol, o papel dele nesse ramo estava excelente, perfeito mesmo, até ele usar a palavra “adequado” que é formal demais mesmo nos diálogos “gramaticalmente padrões” urbanos. No contexto, eu poderia jurar que ele estava zoando o primo “civilizado”, mas a ausência de aspas e o decorrer normal da cena me fizeram refletir.

5 – FalsettoAkaneSchiffer

Conheci a fic um dia desses, e já a devorei. Ela está em andamento, e ainda promete muita história. Como não tive sequer tempo de procurar sobre as obras da escritora, MAS DESCOBRI QUE ELA SÓ TEM 14 ANOS E ESCREVE MELHOR DO QUE O PAULO COELHO, OU METADE DAQUELES CONSERVADORES DA ACADEMIA DE LETRAS #L.CullenFeelings/tahparey, brincadeira, digo com segurança que a menina é genial no processo de estruturação da história. A escrita é muito, muito, muito técnica, elaboração de diálogos, o encaixe da descrição e afins.

No universo artístico, não existe gente, existem estrelas, que nasceram com o intuito de somente brilhar. JongDae, o mais renomado cantor de ópera, sofre a maior desgraça da vida: a descoberta da sua real função no mundo. Tudo aconteceu quando tivera um encontro com o homem que simboliza o destino que só pode desejar, jamais obter. Isso é ser um artista.
No geral, não encontrei pontos negativos. Como a história é de época, é normal demorar para pegar o sotaque e hábitos de forma natural, mas logo ela tira de letra.

Obs: Essa fic me fez pensar seriamente sobre a cultura idol tão famosa entre nós. Mostra-os como mercadorias, que de fato são, e nós, espectadores que os apoiamos, fregueses cruéis, mas necessários para que sobrevivam. Um paradoxo intocável que todos precisam conferir.

Todas essas fictions se encontram no Social Spirit.

Escutando: History – Dreamer
Lendo: Reviews para complemento
Assistindo: Dreamer MV
Comendo: Arroz caramelizado
Bebendo: Água

Por: Aiko Hime

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s