A base para culinária canábica e o aproveitamento total da planta com ice hash

Parece que apenas a manteiga e outros meios gordurosos isolam o thc, então antes de fazer qualquer coisa, tem que fazer manteiga canábica. Dizem que vodka tbm isola, mas aí eu não sei nada haha

Pra fazer manteiga, li que você apenas ferve a manteiga a 100 graus(não passa disso, pois o thc queima a partir de 150 graus), você vai retirando a nata que for subindo da manteiga até ela ficar toda limpinha. Depois disso, jogue a maconha(normalmente usam a partir 30gr pra 300ml de manteiga) e misture sem deixar a erva queimar(é como mingau de aveia, haha). Quando a manteiga tiver bem verdinha e saturar, coe-a espremendo bastante a erva. O thc não sai completamente, e a planta permanece com algumas substâncias legais, então lave, seque e fume.

As folhas próximas dos bud, por sua vez, deixe de molho no gelo seco por 15 minutos, depois penere num pano(aquelas fraudas de criança é o ideal) ou num filtro de café e todo thc vai sair no pó.

As flores você pode fazer chá(100 graus sempre).

Queria saber mais sobre isso, mas a única info q  tenho ta na net…

Café cremoso low carb

Utilizei a receita tradicional, mas invés dos 250gr de açúcar, usei 250ml de creme de leite fresco(ao usar o de caixinha ou latinha, ponha 50gr de manteiga sem sal ou nata, se não tiver nada disso ponha de 2 a 3 colheres de óleo de coco). Bati tudo na batedeira até virar um creme(bater junto com o café e a água morna, senao vira manteiga), pus no congelador e virou um sorvetinho. Como o café tende a ir pra baixo, a cada duas horas misture o pote num período de 8h horas ou até o sorvete endurecer por completo.

Se você segue o protocolo de 40gr de carb por dia, pode acrescentar 100gr de cacau 100%(verifique se não tem algum tipo de açúcar, tudo com o nome “xarope de..” terminações com “ina” e “ose” costumam ser açucares) na mistura e vai virar um cappuccino low carb(cada colher da mistura terá umas 2gr de carb).

Resumindo:

  • 250ml de creme de leite fresco ou um creme de leite de caixa com adição de: 20gr de manteiga/nata ou 2 colheres de óleo de coco.
  • 50gr de café solúvel(verifique se é 100% café ou tem adição de açúcar)
  • 100gr de puro cacau(opcional)

Bata na batedeira, com mixer ou liquidificador até virar um creme. Se o café solúvel tiver dificuldade de se misturar com o creme, adicione uma xícara pequena(100ml) de água morna(é importante que seja morna). Se depois de uns 8 minutos não virar um creme bem espeço(aquele que demora pra mexer quando balança), adicione mais gordura à mistura(óleo de coco ou manteiga).

Depois, bote no freezer e vá misturando um pouquinho a cada duas horas num período de 8 horas ou até o sorvete ficar no ponto.

Pra beber, aqueça 150ml de água ou leite de amêndoa/coco, ou leite de vaca mesmo(se você segue o protocolo das 40grs) e misture de 1 a 2 colheres do sorvetinho.

Adoçante a gosto(recomenda-se stévia, xilitol ou sucralose pra quem faz paleo low-carb).

Dieta Low Carb, agora vai…

Para quem já leu minha postagem com um curto memorial , sabe que lutar contra a balança é um ponto que me persegue desde a infância. Logo, de tantas dietas, finalmente farei uma não pensando no quanto eu vou perder, mas no que irei ganhar com essa escolha.

A dieta paleolítica low carb, dieta do guerreiro sobrevivente, dieta keto, durkhan, cetogênica, entre outros milhões de nomes, está bem popular. Não é atoa, afinal, o que mais seduz nesse estilo de vida é a massiva perda de peso conquistada teoricamente rápida e sem passar fome. Não me estenderei explicando protocolos, início benefícios e afins, indico os médicos Dr Lair Ribeiro, Dr Souto, o blog Paleodiário e o canal Você mais fitness para interessados. Nessa postagem, apenas falarei da minha experiência e o meu entendimento com as leituras que fiz.

Inicialmente, como todos, desejei a perda de peso. Contudo, o sofrimento psicológico inicial é bem grande para pessoas que já fizeram quinhentas dietas e voltaram a engordar, no meu caso de forma extremamente desgastante, explicada no meu curto memorial. Contudo, testando ela no meu pai, homem que frequentava a UTI toda semana por conta de diabetes e hipertensão, eu realmente acredito que tenha encontrado o regime certo para mim. Não sofro de nenhum desses maus, porém sou a candidata certeira, e isso me amedronta.

Voltando ao meu pai, tanto a diabetes quanto a hipertensão normalizaram, o uso de aparelho para apneia severa logo não será necessário. Tudo isso me faz acreditar que a redução de carboidratos tenham responsabilidade nisso. De fato, acompanhando leituras em artigos acadêmicos e livros comerciais sugeridos nas fontes que recomendei acima, testando a dieta no meu pai e em mim, cheguei a conclusão que pessoas obesas são sensíveis ao carboidrato, seja refinado ou complexo(fibroso ou/e gorduroso). E que o excesso de açúcar no sangue não só te engorda como torna indisposto a tudo e te dá uma fome desgramada(todo o esteriótipo do gordo). O açúcar também é viciante devido aos processos químicos e a nossa cultura do sugar rush(enaltecimento e dependência do açúcar).

Lendo também no livro “Por que engordamos?” do Gary Tubes e Good Calories, Bad Calories, do mesmo autor, aprendi que não apenas o açúcar em excesso engorda o obeso, como a gordura(ainda que limpa, afinal, gordura industrial, ou gordura suja, vira açúcar no sangue) também. Seria um processo como se nosso corpo fosse uma máquina (você não enche um tanque cheio, certo?) e a insulina fosse um pano. Necessito abastecer essa máquina com três macronutrientes: carboidrato, proteína e gordura. Se eu coloco esses três macronutrientes, não os queimo e boto mais deles com o tanque cheio, acabo ativando a insulina, pois preciso de um pano para enxugar a gasolina que derramou. Só que tem um problema, a cada vez que uso esse pano o motor do carro fica com problema. Se faço isso com frequência, chega a um ponto que o motor para de funcionar. Então, se consumo mais macronutrientes que meu corpo utiliza, ele ativa a insulina e isso faz com que estoque essa energia não gasta em tecido adiposo e visceral.

Repare que a ideia acima nada tem a ver com calorias, pois os processos químicos são diferentes para cada macronutriente. A base dessa metáfora que criei foi induzida pelo pensamento da construção do corpo como um aparelho ancestral sobrevivente e resultado de etapas evolutivas. Se pensarmo na era paleolítica, isto é, antes da agricultura, alimentos ricos em carboidrato eram de difícil acesso, pois estavam debaixo da terra ou m cima das árvores e não era dada o tempo inteiro, mas em épocas. A caça, contudo, prevalecia, e a carne favorita eram as vísceras devido a saciedade da soma de proteína + gordura. O ser humano se adaptou a isso, gordura, mas numa dose “correta”. Então pouca gordura sacia, dá combustível suficiente para passar o dia e não ativa a insulina. Já o carboidrato, ainda que pouco, ativa a insulina mesmo sendo complexo. Contudo, o carboidrato complexo (lenta absorção, pois tem muita fibra e é gorduroso) seria a opção recomendada para quem deseja perder peso (raízes tipo inhame, batata doce e cará e vegetais que nascem embaixo da terra como beterraba, cenoura e legumes considerados slow-carb como a ervilha e o feijão integral).

Adaptei meus cardápios a tais pensamentos, hoje faço uma dieta saudável, gostosa e que dá resultado. Mas pra chegar nisso foi uma luta contra mim. A parte psicológica e química na primeira semana são quase insuportáveis. Porém, quando passa dos quinze dias, parece uma libertação, arrisco a dizer que é uma desintoxicação semelhante ao do viciado em drogas. Primeiro que meu corpo não sofre tanto com processos hormonais desgastantes, então alguns sintomas como enxaqueca, inchaço, ansiedade e depressão (a causa não é só psicológica, é química também) melhoraram bastante. Ainda não emagreci tanto (apenas 4kg em 3 meses)  por conta do meu metabolismo sofrido(quimioterapia, corticoides, dietas desgastantes, crises de compulsão e afins). Mas só pelo fato do meu cérebro (que se alimenta apenas da glicose que meu fígado produz, e não do refinado consumido) já foi um ganho pra mim. Muito do nosso sofrimento é psicológico, mas acredite, alimentação, que infelizmente não é discutida por médicos(nem possuem interesse nisso, você que SE ENTUPA de remédio e pague 500 reais em terapia com eles) é quase que um ambiente determinante para a proliferação dessas doenças.

Então, o que recomendo é que antes de seguir qualquer dieta, pesquise em artigos acadêmicos sobre alimentação e funcionamento do corpo(processos físico-químicos) e, acima de tudo, se você vai conseguir seguir com ela, isto é, se você vai comer coisas que você gosta, não apenas se vai conseguir largar algo. Ao assistir documentário ou  seguir algum médico, repare se as soluções que ele dá visam lucro pessoal ou para alguma empresa. Espero muito que agora eu consiga ir até o fim. Termino meu coquetel de qt mês que vem, então poderei ver mais resultados. Estou bem feliz e ansiosa. Enquanto aguardo, sigo com o meu cardápio QUE É FLEXÍVEL(isto é, posso comer outras coisas além disso, mas isso é meu prato base) e aguardo resultados não só nas medidas, mas no meu bem estar.

Desjejum:

O que eu comia = café com leite e pão com miolo

O que eu como agora = ovos fritos no óleo de coco com borda crocante e gema mole; cappuccino low-carb(café com nata batida e cacau em pó(sem adção de açúcar e 4gr de frutose do próprio cacau).

Não preciso dizer que meu café da manhã além de mais saudável, muito mais gostoso.

Almoço:

O que eu comia = Arroz, feijão, carne magra, salada(alface e tomate)

O que eu como = muito variável, principalmente na salada, mas A BASE costuma ser couve no azeite de oliva, cenoura, tomate e fígado bovino no açafrão com pimenta do reino(eu amoooo).

Prefiro muito mais agora porque sou preguiçosa na cozinha, logo só preciso lavar a salada, cortar e fritar o fígado que em dois minutos tá pronto.

Lanche(nunca gostei de jantar):

Chega a ser mais maleável que o almoço, mas normalmente só tomo um cappuccino low-carb (sem cacau) OU como uma omelete de queijo amarelo(sem adção de urucum). Também adoro guacamole(prato naturalmente low-carb) no lanche da tarde, então realmente estou feliz por poder comer isso nessa dieta.

Antes eu comia café com leite e pão e depois ficava com fome(devido o carboidrato refinado) e comia mais a noite, próximo a hora de dormir, inclusive.

Quando tenho vontade de comer algo doce, que não pode ser sempre, como um creme de morangos ou panqueca de banana com linhaça e óleo de coco juntamente com o café preto(só como a panqueca de banana se não comer cenoura no almoço). Também posso comer coco com chá mate, que é quase um remédio pra ansiedade.

 

 

 

Lista de coisas sexuais que casais celibatários ou que nao curtem penetração anal e vaginal podem fazer

Muitas pessoas entendem sexo apenas como pau na xota, pau na boca, pau no cu.  Contudo, existem pessoas que por motivos traumáticos ou falta de vontade, prazer ou ideologia(lesbianismo político, por exemplo) não gostam de penetração, ou até mesmo sexo oral(no geral) e beijo grego. Então, baseando-me em relatos de praticantes de SNP(sexo não-penetrativo), criei essa lista sugestiva aos que se interessam pela ideia.

Antes de começar, gostaria de lembrar que a pele humana é a maior fonte de prazer, é um mapa pra zonas erógenas, então por que não a exploramos mais, nao é mesmo? Quanto mais cedo nos desligarmos da ideia de que o foco do sexo tem que ser a penetração, mais poderemos aproveitá-lo, sendo praticantes de SNP ou não.

Primeiro a lista das taxadas “preliminares”(como se sexo fosse uma lista de instrução):

  • Sexo oral e beijo grego: apesar da maioria dos adeptos da SNP não curtirem sexo oral ou cunilingus, tem aquele 1% que adora, então ponho na lista.
  • Sexo virtual: telefone, sms, web cam(garotas, cuidado com porn revenge)
  • Estimular os mamilos(uma pessoa consegue chegar ao orgasmo apenas com isso).
  • Massagem erótica.
  • Gouinage: fricção com roupas.
  • Lap dance(dança de colo): simular sexo de forma sensual e dançada(você pode adaptá-la não dançando).
  • Masturbação mútua.
  • Arranhões de leve por toda a pele.
  • Chupões, lambidas pelo corpo, assim descobre-se zonas erógenas d@ parceir@.
  • Mordida na orelha e no pescoço.
  • Lambida nas axilas(isso é polêmico na nossa cultura, mas as axilas são extremamente erógenas. Vamos parar de nojinho, é só tomar um banho, não vai sair ogros de lá, ta?).
  • Cafuné na cabeça(o couro cabeludo tem N terminações nervosas, quando muito protegido – pessoa tem cabelo – é extremamente sensível).

Coisas não convencionais – para as pessoas que se excitam mais com o processo do gozo do que com o ápice :

  • Tribadismo: fricção dos genitais.
  • Sumata: penetrar entre as coxas, entre as nádegas(assjob) – sem penetrar o anus – ou masturbação com os grandes lábios – fricção do pênis por toda a vulva- – sem penetração vaginal.
  • Espanhola: penetração entre os seios ou estimulação clitoriana no mamilo do parceiro.
  • Footjob: masturbação com os pés ou fricção do clitóris no dedão do pé.
  • Paf-pafu: fricção do rosto entre os seios.
  • Sexo háptico: privações ou manipulações sensoriais focando apenas em uma(tato, zonas erógenas individuais) até ela ou ele chegar ao orgasmo(a ideia é ele ou ela utilizar da imaginação enquanto é estimulad@).
  • Jogos sexuais(como os dados ou cartas eróticas com suspense).
  • Performances teatrais de fetiche(sadomasoquismo, streaptease, fantasias sexuais e afins) ou exibicionismo(mulheres, cuidado com porn revenge).

Top 3 duplas

Ibeyi

Duas irmãs cubanas cantam variados estilos eletrônica com mix de musicas tribais com foco na cultura Iorubá. Ibeyi ou Ibeji são duas divindades gêmeas e duais denominadas orixás.

Mais famosa

Favorita

Oshun

Duas irmãs nova yorkinas naturais da Nigéria também possuem foco de suas músicas na cultura Iorubá, mas dentro do universo hip-hop. Oxum é uma divindade feminina(mãe de criação dos ibeji, inclusive) também denominada orixá.

Famosa

Favorita

Cocorosie 

Duas irmãs francesas cantam um pop alternativo delicioso aos ouvidos. Músicas extremamente filosóficas, utilizam muito da linguagem de contos de fada para se expressar.

Famosa

Favorita

Sistema de P.A

O que é P.A?

Pau ou ppk amig@

Hoje em dia ninguém tem saco pra namoro. O que as pessoas criaram? Uma forma de se relacionar sexualmente sem ter um kg de doenças venéreas no fim do mês.

Como funciona?

As pessoas se relacionam livremente com outros, mas fazem sexo apenas com seu P.a. Caso fizer sexo com outra pessoa, deve avisar ao seu p.a antes e depois.

Regras:
– O p.a deve estar disponível pelo menos uma vez por semana. No mínimo 3 encontros por mês. Não podem se ver mais de 3 dias por semana.
– Os p.as nunca deverão dormir juntos ou no mesmo cômodo. Depois do papo pós-sexo, cada um pra sua casa.
– Os p.as não podem trocar informações íntimas, apenas gostos.
– Os p.as nao podem se presentear, nem comemorar nada juntos. Salvo eventos com os amigos(dele ou dela).
– Os p.as não podem compartilhar nada(música temática, comida, talheres e afins)
– Os p.as não podem viajar juntos. A única coisa que os p.as podem fazer juntos fora sexo são saídas clássicas, seja com amigos ou sós.

Caso os p.as se apaixonem, seja pelo p.a ou por outra pessoa, avisar.

Em caso de sexo fora da relação p.a, usar camisinha pra tudo(inclusive oral, papel filme no caso de meninas).